quinta-feira, 17 de março de 2016

Professores da Rede Estadual decretam estado de greve em Assembleia Geral

Os profissionais da Rede Estadual de Ensino do Ceará decretaram estado de greve a partir desta quinta-feira (17). A decisão foi tomada em Assembleia Geral do Sindicato APEOC realizada na manhã de hoje (17) no Ginásio Paulo Sarasate, em Fortaleza.

O encontro reuniu milhares de servidores públicos da Educação da capital e interior. A próxima assembleia para decidir os rumos do movimento está marcada para o dia seis de abril, em local e horário a serem definidos.
Diante do silêncio do Governo do Estado na negociação do Reajuste Geral dos Servidores, cujo pagamento deveria ter sido feito na data-base de 1° de janeiro, os profissionais da Educação decidiram, por unanimidade, dar um alerta ao Executivo de que a partir de agora a categoria pode decretar uma paralisação por tempo indeterminado.

Veja a pauta de reivindicação da categoria:
* Pagamento imediato do Reajuste Geral dos Servidores, com respeito à data-base que é 1° de Janeiro;
* Os professores e os demais servidores do Estado exigem aumento de 12,67% (10,67% referentes à reposição da inflação de 2015 + 2% de ganho real);
* Convocação dos Professores reclassificados do último concurso da Secretaria da Educação do Estado, realizado em 2013. A validade do concurso termina dia 08 de abril e 341 professores aguardam convocação;
* Efetivação dos direitos garantidos como Estabilidade, Progressão Horizontal e Vertical, Ampliação Definitiva de Carga Horária e liberação dos processos de Afastamento para Mestrado e Doutorado;
* Implantação do Plano de Cargos, Carreiras e Salários dos Funcionários da Educação.

Segundo o presidente do Sindicato APEOC, Anizio Melo, o momento é de mobilização e unidade. “Vamos às escolas, conversar com professores, estudantes e pais, e apresentar à sociedade que a luta dos trabalhadores é por mais valorização e qualidade do ensino”, disse Anizio.
A agenda de mobilização ao longo dos próximos dias prevê uma série de atividades em Fortaleza e no Interior do Estado, como carreatas, reuniões, debates e orientações jurídicas sobre o processo de greve.

Estado de Greve
Segundo o Departamento Jurídico do Sindicato APEOC, o estado de greve não caracteriza interrupção do trabalho. Os servidores terão que cumprir o expediente na unidade em que estão lotados e no horário estabelecido. A mobilização no local de trabalho fica a critério do profissional, que pode realizar palestras e outras atividades durante o expediente para sensibilizar alunos e pais sobre a pauta de reivindicação da categoria.



Fonte da Informação - http://www.apeoc.org.br/noticias2/8045-professores-da-rede-estadual-decretam-estado-de-greve-em-assembleia-geral.html extraída do blogmiolodepote.blogspot.com.br/