quinta-feira, 19 de março de 2015

Escola de Ibaretama atrai imprensa do Sertão Central

A EEM Cônego Luiz Braga Rocha recebeu no mês passado, mais precisamente, em uma quarta-feira, 25, a visita de profissionais do Diário do Nordeste e da FM Meio Norte (Aléx Pimentel e Cleumio Pinto).

"Um verdadeiro celeiro de talentos", afirmou um dos visitantes. Viemos fazer uma matéria sobre o professor da "Sofrência" e acabamos descobrindo um imenso universo de aptidões. Um deles é o MC Blin, garoto muito esforçado, talentoso e cheio de esperança, perseverança, concluiu o correspondente do Diário. 

Blin, trata-se do aluno Fabiano de Sousa, aluno do 2ºano, que sonha em fazer sucesso com o rap, o funk, gênero musical do tipo. O jovem já demonstra seu potencial para os colegas nas festas e projetos promovidos pela escola. Sempre que tem oportunidade ele canta suas letras e assim como o professor Kilmer (o homem da "Sofrência na História"), o MC transforma o conteúdo estudado em paródias e raps, como por exemplo, a "Revolução Francesa" que já está nas redes sociais (you tube, facebook). 

Fabiano afirma que já compôs mais de vinte canções. O garoto produz seus ritmos a partir de um aparelho celular, pois não dispõe de recurso financeiro para adquirir material adequado. O garoto ajuda o pai lavando carros, o jovem sonha em gravar um CD e conhecer seu ídolo, o MC Guimê. 

Outro destaque na escola, foi o aluno Everton Jhons, que conseguiu 900 pontos na redação do ENEM de 2014 e que sonha em fazer Medicina. 

Quem também ganhou notoriedade foi o aluno Anderson Henrique Morais de Almeida, que já no 2ºAno, prestou vestibular e foi aprovado no curso de Odontologia, na FCRS. 

Ao todo foram 40 aprovações em faculdades, um número bastante significativo para uma escola de nosso porte. Estamos muito feliz. Afirma a Coordenadora Pedagógica Do Céo Freitas.

E como tema central para a vinda dos profissionais à escola, o professor Kilmer Duarte e sua turma que estudam História ao som e ritmo do cantor baiano Pablo, foram entrevistados e filmados, quando então, puderam expor sua metodologia diferenciada.