quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Acadêmicos da UTFPR vão ao Ceará participar do Projeto Rondon - Operação Mandacarú será desenvolvida em Ibaretama

Diário do Sudoeste





Cristina vargas com Assessoria

Uma comitiva formada por acadêmicos e professores do campus Pato Branco da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) vai participar da Operação Mandacaru do Projeto Rondon, realizada em Itapiúna (CE), de 17 a 31 deste mês. 
O Projeto Rondon, coordenado pelo Ministério da Defesa, tem por finalidade levar as Instituições de Ensino Superior (IES) e seus estudantes a diferentes regiões do Brasil, dando-lhes a oportunidade de conhecerem essas realidades. 
A intenção da proposta também é que os estudantes socializem seus saberes e, na interação com as comunidades, elaborem propostas e criem soluções participativas, de modo a atenuar as deficiências estruturais locais. Assim, contribuindo para o bem-estar dessas populações e, simultaneamente, consolidando a formação dos universitários como cidadãos.
A operação Mandacaru será desenvolvida em 15 municípios do Estado do Ceará, incluindo o município de Itapiúna, no qual atuará a UTFPR. A operação envolverá, também, os municípios de Acarape, Apuiarés, Aracoiaba, Baturité, Caridade, Chorozinho, General Sampaio, Ibaretama, Irauçuba, Itapiúna, Itatira, Jaguaretama, Madalena, Paramoti e Tejuçuoca.

Seleção
Em agosto do ano passado, quando ainda estava em trâmite a participação do grupo nesta operação, o professor Thiago de Oliveira Vargas – um dos coordenadores do projeto –, contou ao Diário do Sudoeste que para serem escolhidos, os acadêmicos tinham que passar por um processo de seleção cujo principal requisito, exigido pelo Ministério da Defesa, era que os alunos tivessem cursado pelo menos 50% da grade curricular de seus cursos. Pelo edital interno da UTFPR, no entanto, os candidatos foram avaliados através de dinâmica de grupo, análise de currículo e entrevista. 

Experiência
O professor explicou, ainda, que essa experiência proporcionada pelo Rondon é muito importante também para o currículo do acadêmico. “Além da formação acadêmica, do treinamento minucioso e da aplicação do conhecimento na prática, tem a formação pessoal e o relacionamento com outra cultura. Mas o fundamental é o fato de se conhecer, saber doar o seu tempo, sua disposição, saber passar para o próximo o seu conhecimento. O Rondon propicia essa grande troca, de não só beneficiar o próximo, mas a si mesmo através desse trabalho que é totalmente voluntário”, frisou.
Cada equipe é composta por dez rondonistas, dentre eles dois professores e oito alunos, todos voluntários, que oferecerão oficinas, palestras e cursos gratuitos à população. A equipe será coordenada pela professora Giovana Faneco Pereira, juntamente com o professor Thiago de Oliveira Vargas, coordenador adjunto, e a professora Taciane Finatto, professora reserva.
Os acadêmicos que participarão serão: Adeaner Cunico Testolin (Administração), Anaclara Prasniewski (Química), Cleverson Adriano Brunetto (Agronomia), Fábio José de Camargo (Engenharia Mecânica), Maria Helena Castagnara (Letras), Pablo Henrique Jahno (Engenharia Elétrica), Renata Voitena (Matemática) e Suélen Mazon (Agronomia).

Informação do Diário do Sudeste em http://www.diariodosudoeste.com.br/noticias/pato-branco/10,76287,06,01,academicos-da-utfpr-vao-ao-ceara-participar-do-projeto-rondon.shtml