quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Lei do fim da votação secreta cria polêmica na Câmara de Ibaretama e não será aprovada

Lei do fim da votação secreta cria polêmica na Câmara de Ibaretama e não será aprovada

vereadores_ibaretama_201
Se aprovada, a população ficará sabendo como vota cada vereador do município, mas três vereadores da oposição votaram contra.
Uma articulação dos vereadores da base de oposição conseguiu algo inédito, eles têm o apoio da maioria dos vereadores para votar contra a transferência nas votações na Câmara Municipal de Ibaretama, no Sertão Central cearense. A sessão da próxima sexta-feira, 28, promete ser de conflitos e a Casa deverá ficar lotada.
O projeto de Lei da presidente da Câmara Municipal, Tereza Carla - “Carlinha”, busca equiparar Ibaretama como a maioria das Casas Legislativas no Brasil que tem votação abertas.
Os vereadores Carlos Igor Matos Cunha- “Igor do Bebé” (PP), Francisco Carliando de Almeida(PRB) e Analice Cavalcante Queiroz(PSB) votaram contra o projeto. Para ser aprovado há necessidade de 1/3, ou seja, 6 votos favoráveis.Na próxima sexta-feira será a votação.
Se aprovada, a população ficará sabendo como vota cada vereador do município para escolha da Mesa Diretora; nos processos de cassação de mandato; na concessão de título honorário; na eleição para comparação de comissões permanentes; nos julgamentos de contas de gestores.
presidente da Câmara de Ibaretama, que subscreve o projeto argumenta que o País tem avançado no processo de transparência e que, com o fim do voto secreto as casas legislativas vêm respondendo aos anseios populares.
O voto aberto contribui para que os cidadãos exerçam não apenas seus direitos, mas o dever de fiscalizar a ação de seus parlamentares, eleitos para atuar em nome do povo, na defesa de seus interesses”, explica Carlinha.

Informação do Revista Central;