quarta-feira, 5 de junho de 2013

Bolsa família: Denúncia de inscrições indevidas gera debate

Deputado Osmar Baquit;
Deputado Fernando Hugo;
Deputado endereça pedido de investigação ao Ministério Público e Polícia Federal sobre o caso de Ibaretama

Deputados estaduais cearenses entraram em confronto, ontem, por conta de denúncias feitas de utilização do Bolsa Família por pessoas ligados a políticos no Município de Ibaretama.      

Tudo começou quando o tucano Fernando Hugo voltou a atacar o programa social do Governo Federal, afirmando que até secretários municipais estavam recebendo o benefício.

O deputado Fernando Hugo denunciou que secretários de prefeituras cearenses estão recebendo o auxílio do Bolsa Família de modo irregular Foto: José Leomar

Ele chegou, inclusive, a afirmar que enviaria um requerimento à Polícia Federal e ao Ministério Público Federal, solicitando uma investigação sobre a distorção do programa naquele Município, em razão da inclusão de pessoas que, segundo ele, não satisfazem as exigências do programa social. Fernando Hugo apresentou documentos, que, segundo ele, comprovariam as suas denúncias.

O parlamentar, apesar dos ataques à condução do projeto País afora, destacou a importância do Bolsa Família para a população de baixa renda, ressaltando, porém, que a longo prazo não existe qualquer benefício para o País. “A garota que há dez anos recebia o Bolsa Família, hoje é uma mãe de família que continua recebendo o benefício”, disse, ressaltando que o programa não incentiva o “crescimento educacional e profissional da população”.

O deputado Vasques Landim (PR), fez um paralelo com medidas da Reforma Política quanto ao financiamento de campanha e disse que o Bolsa Família já é uma forma de financiamento público, pois já está financiando a campanha daqueles que o utilizam como captação de votos. “É isso que visualizamos em todas as eleições. Eles dizem como se as pessoas tivessem o dever de votar no candidato de plantão daquele projeto. E isso já é o financiamento público de campanha”, afirmou.

Boatos
O deputado Dedé Teixeira, porém, lembrou que a presidente Dilma disse para não acreditarem em boatos contra o programa e disse que grande parte da população brasileira sabe o que é não ter onde morar ou ter o que comer na próxima refeição e que por isso, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva resolveu investir na parte pobre da população. Para Antônio Carlos, o programa “não pode pagar o pato” das irregularidades.

“O Bolsa Família é uma vitória do povo brasileiro. Eu queria que ficasse bem claro que eu sou a favor do Bolsa Família. Mas quem não é que diga. Há irregularidades e para elas, há a Lei”, disse o petista.

O deputado Osmar Baquit (PSD), no entanto, não gostou das acusações feitas por Fernando Hugo a atual administração de Ibaretama, a quem teria sido atribuída a responsabilidade dos desvios do programa. Tanto Baquit quanto Fernando Hugo são votados naquele Município. Segundo Baquit, a Promotoria de Justiça da comarca daquele Município requisitou, em maio deste ano, a lista com os nomes dos beneficiários do programa na cidade, para checagem possíveis fraudes.

Conforme informou, a atual administração está trabalhando em conjunto com a promotoria para corrigir distorções que, segundo ele, ocorreram nas administrações anteriores porque não houve atualização de cadastros. Segundo ainda o deputado Baquit, um sobrinho do tucano era secretário na antiga gestão de Edison Morais, que segundo ele, era correligionário de Fernando Hugo.

Questões políticas“Essas pessoas citadas no ofício, há mais de quatro anos recebem tal benefício. A Prefeitura sugeriu que fizesse o cruzamento dos dados e está sendo possível detectar isso porque não tem o cadastro. Se o deputado Fernando Hugo quis prestar um serviço bom para a população, ele fez certo. Mas ele esqueceu que isso foi feito na gestão do ex-prefeito que o apoiava”, afirmou Osmar Baquit.

Fernando Hugo, por outro lado disse que não falou nada a respeito da atual administração do Município de Ibaretama, porque isso acabaria tirando o foco da discussão, que era sobre irregularidades no programa federal Bolsa Família. “O que eu li aqui foi professores e secretários que estão na administração recebendo o Bolsa Família. Eu dei entrada no Ministério Público Federal em um pedido de investigação. Eu não disse nem que a prefeita era bonita ou feia”, afirmou o parlamentar.

“O mais correto é dizer que o pessoal aqui foi quem apoiou vossa excelência”, retrucou Osmar Baquit, se dirigindo a Ferrando Hugo. Ele afirmou que o tucano estava fazendo tais denúncias apenas por questões políticas para atingir a atual gestão. “Como ele quer atingir a prefeita atual e a presidente Dilma, ele faz isso. Não é porque ele se interesse com o Bolsa Família”, atacou.

Informação extraída do DN em  http://diariodonordeste.globo.com/materia.asp?codigo=1275710